Palau – Micronésia

Diário de Viagem
Novembro 2014

Palau: It´s diving time!!

Inauguramos o continente da Oceania com este destino maravilhoso e tão remoto.

Depois de chegarmos ao hotel cerca das 2h fomos de imediato dormir. O Hotel DW é um hotel simples mas com uma excelente relação qualidade preço para Palau. Pelo preço que pagamos por este pequeno e simples quarto podíamos ficar num hotel 5 estrelas em Las Vegas! De qualquer das formas dormimos muito bem e acordamos também muito cedo com o objetivo de procurarmos um negócio last minute e dessa forma pouparmos bastante dinheiro. Pelo que entendemos, todo este paraíso do Pacífico Sul é bastante caro, provavelmente devido à influência norte-americana neste continente após a WWII, onde o dólar é rei e senhor bem como todas as suas contrapartidas, taxas e “tips”. É algo que me desagrada profundamente, com certeza que estas ilhas poderiam ter custos ao nível do sudoeste asiático caso os americanos não tivessem ganho a guerra do Pacífico.

Depois de tomarmos o pequeno almoço à americana com umas tostas, ovos e café a um preço exorbitante para Portugal e um atendimento desleixado e nada simpático, coisa típica para estes lados como viemos a constatar e sobretudo bem diferente da serventia a que os japoneses nos habituaram, partimos à descoberta de centros de mergulho. 

O nosso objetivo inicial era um “live aboard”(estadia num barco com tudo incluído) como tivemos nas Galápagos mas nada feito… aqui era preciso marcar em adiantado e com preços entre os 2500-3500€ cada um durante 1 semana. De loucos mesmo! Paramos logo num discreto centro de mergulho em frente ao café de uns coreanos e tinham um pacote interessante de hotel e mergulho mas decidimos ir à procura de mais. Entretanto falaram-nos num centro de mergulho próximo da ponte que ligava Koror a Malakal e pareceu-nos muito pouco profissional e era bem mais caro do que o Coreano.

Durante o caminho começamos a ver o Palau pela primeira vez, já que tínhamos chegado de noite e a primeira imagem não é deslumbrante, é uma mistura de betão e carros americanos e japoneses no meio de casas pouco cuidadas mas com um aspeto típico para a região. Tem um quê de americano com polinésico, rodeado pelas famosas ilhas interligadas por pontes de betão mas com águas paradisíacas e transparentes. Durante o caminho, até avistamos uma eagle-ray ainda juvenil e ficamos entusiasmados para o difícil caminho sob o calor avassalador debaixo do sol do Palau. Entretanto indicaram-nos o caminho do Sam´s, um famoso centro de mergulho local que tínhamos visto na internet e com excelentes revisões pelo que decidimos tentar a nossa sorte. Ao chegarmos lá encontramos um nível de atendimento incrível e a pessoa que nos atendeu conseguiu, sem dúvida, convencer-nos a mergulhar com eles. O principal problema era o medo da Filipa em relação aos tubarões mas ela conseguiu dizer as frases certas para, apesar do receio ainda presente, ela considerar fazer uma semana de mergulho. 

Palau é um autêntico paraíso mas sem praias aqui na ilha principal, pelo que Palau gira totalmente à volta do mergulho. Não há praticamente mais nada para se fazer aqui. Para irmos para as raras praias e spots de mergulho temos que apanhar sempre speed boats. Os preços dos tours de snorkeling ou de kayak eram exorbitantes (na ordem dos 130USD cada um!!)

Depois de termos escolhido o hotel, West Plaza Malakal (bem melhor que o hotel da noite anterior), decidimos ir experimentar a água junto ao Sam´s e dessa forma ensaiar o equipamento de mergulho e sobretudo os receios ainda presentes na Filipa. A sensação de entrar na água revitalizou-nos por completo. Que água quente! Nem refresca, é um autêntico caldo de água quente. Esta sensação vale por tudo e pelos milhares de quilómetros que fizemos para chegar até ao extremo oriente.

Amanhã é dia da Filipa enfrentar o primeiro mergulho e não há como evitar os tubarões, é a forma como os encaramos que é preciso mudar. São apenas mais um animal neste ecossistema e nada mais do que isso. Temos que respeitar todos eles sem exceção 🙂

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Descobre mais Diários de Viagem

No data was found

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *