Cambodja

Diário de Viagem
Abril 2012

Siem Reap

Chegamos ao Cambodja ontem. A viagem ate a fronteira foi bastante razoável e só durou 3 horas em vez das 4h porque o nosso condutor era racing..!! Mas era dos bons!! Na fronteira tivemos de esperar umas 2 horas e depois tivemos mais umas 3 horas ate Siem Reap num autocarro da “carreira”.

A diferença entre a Tailândia e o Cambodja é incrível, mal se passa a fronteira começamos a comer poeira. Só há uma estrada alcatroada e de resto e tudo terra (vermelha) batida. Neste percurso deixamos de ver um país com boas estradas, casas e serviços e passamos para uma grande planície com uma ou outra casa em madeira ou pequena aldeia. A caminho ficamos desde logo fascinados pela beleza das crianças. Claro esta que quando paramos e falamos com elas já sabiam dizer, por muito pequenas que fossem, “Do you have 1 dollar Sir?”

Com tudo isto, chegamos as 5:30 da tarde, 2 horas mais cedo do que o previsto, o que foi ótimo porque li no Lonely Planet que os templos são gratuitos a partir das 5 da tarde o que nos fez apanhar logo um Tuk Tuk para ir ver o por do sol a Angkor Wat, um dos cenários mais descritos…

Lá fomos com um caramelo que nos foi buscar a estacão de camionagem e que nos cobrou 4 dólares. Parece barato mas não e! Eu sei que não parece meu mas tínhamos pressa e os outros pediam 7 dólares!! (O salario minimo mensal no Cambodja e 55$USD) Mas valeu a pena ate porque não pagamos bilhete e já arrumávamos algum do serviço de amanha. O bilhete de 1 dia para os templos e de 20$!!!! Para terem noção de mais preços, no sitio turístico eu e a Filipa jantamos e bebemos bebidas caras por 5,5$ (conta final para os dois) e estamos num quarto hotel muito razoável com pequeno almoço que nos esta a custar 8 euros aos dois por dia! Podemos comer sapo cozinhado por 1 dolar… podemos… estou a ganhar coragem, acho que e mesmo hoje!! 

É verdade, na Tailândia a cerveja custa 2 a 3 dólares(!!) mas aqui no Cambodja já custa 50 cêntimos de dólar, pelo que ando com menos sede :))) Estava quase a desidratar! O que e caro aqui são estes ladrões dos Tuk tuk que tal como na Tailândia são a classe privilegiada!! Uma pequena volta de 1 km pode custar 1 dólar, desde que negociado, eles pedem 3$!! Depois e do costume… ah e tal… esse hotel/restaurante não presta… e melhor irmos para outro muito bom e eu consigo um desconto para vocês!! Só por serem vocês!! Porrrrrrrrrrrrrrrrra pros chatos! São eles e os imensos mosquitos que encontramos no quarto e no hotel!!!

Espero que estas dicas ajudem o pessoal que quer ca vir, sobretudo o Zidras! Ainda vou fazer um post sobre os transportes no Cambodja!!
Falando do hotel, não e um 5 estrelas, nem um 4 estrelas… mas tem uma chuveiro à João!!! Tentei mostrar o lado positivo deste tipo de chuveiro à Fi mas não a convenceu que e divertido molhar tudo, mesmo a sanita!
Gosto muito do ambiente, macacos e Alibaba, faz lembrar o de Chitwan, porque esta metido do meio da selva mas ligeiramente inferior.

Já volto para contar o dia de hoje…!! O impacto de Angkor Wat!!! Muito bom…

Não tinha noção da dimensão do reino dos Khmer. O titulo de uma das 7 maravilhas do mundo não esta relacionado com a dimensão de um povo, e por isso nada me fazia acreditar que no meio deste pais totalmente destruído pelos camaradas comunistas e por uma historia de guerras e conflitos que culminaram com a atual situação de pobreza extrema.

Existiu em tempos uma civilização de dimensão comparável aos Maias (maioritariamente hindu, mas mais tardiamente com influencias budistas). De facto o Cambodja é um pais associado a pobreza e a crianças mutiladas pelas minas terrestres e não pelo esplendor do seu passado. Pelo menos como deveria! Eu percebo os cambodjanos, nós portugueses passamos pelo mesmo… já ninguém nos respeita neste mundo… “We conquered the world once”!! (Private joke)

Voltando a terra, hoje foi um dia em cheio! Os templos de Angkor são imensos e espalhados pela selva cambodjana, tal como no Yukatan, no caso dos Maias. Nós só vimos uma pequena parte, os principais, porque só temos um dia. Todos os templos são uma surpresa e tem o seu “must”! Há claro os favoritos mas todos tem a sua magia…
Acordamos muito cedo, cerca das 5h e fomos de tuk tuk, combinado no dia anterior, para vermos o nascer do sol em Angkor Wat, que realmente desiludiu já que naquele momento umas nuvens taparam o dito cujo. Como no dia anterior já tínhamos visto o por do sol e conhecido o templo, passamos para os seguintes. O templo exigiu 45 minutos de viagem de tuk tuk (templo Shangri Srei) no qual obviamente adormeci!! Aqui os tuk tuk, ou moto riquexos, são castiços e confortáveis, muito diferentes do que eu já vi. Não passam de uma scooter com um atrelado (tem uma peca de metal meia manhosa a unir os dois).

​Depois foi sempre a ver uns atrás dos outros sendo que o favorito da Fi foi o de Ta Phrom (o tal das raízes entroncadas no meio dos templos) e o meu o de Bayon, o das varias caras de pedra (representam os guardiões dos templos, segundo o hinduísmo, enviados por Shiva, e que eram tao devoradores que comeram o próprio corpo, restando apenas a cabeça). Entretanto almoçamos perto dos templos a preço de turista estúpido que não tem onde mais comer (mesmo assim com uma conta final de 11$). Depois de vermos tudo lá nos pusemos a caminho do hotel. Um dos melhores momentos do dia veio quando avistamos macacos selvagens perto da estrada… as imagens dizem tudo… foi um momento e tanto… O macaco que aparece connosco nas fotos ficou muito desiludido por ainda não termos piolhos! Eu disse-lhe que estamos a tentar chegar a esse ponto de pura natureza!

Agora vamos a cidade e estamos ansiosos por uma massagem, que já tarda há 2 dias, e que só custa 1 dólar (1 hora!!) Isto e que e vida pessoal!!!
Alem do mais já sabemos onde comer as famosas tarântulas!! Só há 2 sítios em Siem Reap, vamos ver se há coragem também… as fotos não nos deixarão mentir.
Em Bangkok comemos rã frita, mas não tiramos fotografias… nessa terão que acreditar! 🙂

Ninguém aqui é ovo podre!!! Não imaginam o que nos calhou na rifa hoje! Acabamos de colocar as fotos na net e fomos fazer uma massagem Khmer. Muito boa, saímos relaxados! Relaxados o suficiente para apanhar um tuk tuk até à rua 60. Chegamos e vimos uma bancada com todo o tipo de insetos e repteis. O Di todo corajoso ataca logo o cesto das carochas! O nosso motorista do tuk tuk tirou-lhe as patas e as asas e o Di imediatamente mete aquilo à boca e trinca! A mim quase me dava o treco!!! Até chamei a minha mãe!!!! Não se preocupem que está tudo filmado!

Achamos melhor provar cobra. Tenho a dizer que não custou mesmo nada! E ainda me deu coragem para provar a barata… Como o Di disse que era bom (e depois de me abanar toda, de pensar para mim que era como Lays, palavras do Di!), pedi ao motorista do tuk tuk para me arranjar uma. Eu até tremia… Chamei pela minha mãe e dei-lhe uma lambidela antes de o meter à boca, só para saber a que sabia! Para quem não sabe, o meu problema com insectos é o barulho que eles fazem quando os piso, por isso podem imaginar a minha reação quando o meti à boca e o trinquei?! Na minha cabeça só se ouvia “é uma barata! Eu não consigo!” e deitei-o fora! Ou seja, lambi, meti à boca, trinquei mas não o engoli!!! Ah!! A seguir fomos jantar sapos!!! 🙂 muito bons! Grelhadinhos, é como galinha! O Di que comeu a barata, não conseguiu comer o sapo porque diz que lhe fazia impressão!!! Não entendo… 🙂

E pronto… Já estamos de saída. O voo afinal é às 13h30 e demora 1h20. Parece que a barata fez mal ao Diogo, que está com uma ligeira diarreia, embora também já me tenha acontecido, mas é coisa ligeira e passageira. 🙂 Tudo tranquilo! É só o nosso intestino a habituar-se ao leite de côco e aos insetos! 😀
Gostámos muito de Siem Reap, mas 2 dias, 3 noites chegam e sobram cá! Ficam as recordações, as fotos e as saudades.

Agora de manha vamos ao orfanato, levar uma dose de realidade pesada e depois para aliviar, mais uma massagem para nos fazermos ao aeroporto!

Querem que leve umas baratinhas para provarem??? 😉

A ida ao orfanato revelou-se uma experiência bastante reveladora… Pedimos ao hotel para nos levar a um orfanato, onde pudéssemos ver como vivem estas crianças que são abandonadas e falar, brincar e dar-lhes um pouco de carinho.
Primeiro levaram-nos a uma escola onde os pais deixam as crianças para aprenderem… “Não foi isto que vos pedimos!”
Segundo levaram-nos a uma escola onde as crianças aprendem inglês… “Bolas… Não foi isto que vos pedimos! Queremos ver órfãos!!”

Terceiro levaram-nos a um “death field”, onde tinham sido mortos cambodjanos pelos Khmers vermelhos. Há 10 anos ainda haviam guerrilhas… “Mais uma vez… Não foi isto que vos pedimos!!!!”
Depois de muito explicar, de varias maneiras o que estávamos a pedir, lá nos levaram a um orfanato onde moravam 8 crianças, mas que no momento não estavam ali, pois tinham ido para a escola.
Fomos tentar outro sítio e chegamos finalmente a um sítio onde conseguimos ver e falar com as crianças. Eram 9 crianças e estavam em aulas de inglês, com duas americanas a fazer voluntariado lá! Mostraram-nos os quartos deles e delas (cada quarto leva 2 meninos ou 4 meninas) e depois estivemos a assistir as aulas deles. Mostramos-lhes onde era Portugal e como se escreviam os nossos nomes… Foi lindo!

Antes de virmos embora deixamos lá 50 dólares… O Di queria deixar mais, mas eu achei que era demais… Mas soube mesmo bem ajudar e brincar com elas! Foi magnifico!

Adeus Cambodja!!! Foi uma experiência a nunca mais esquecer! Foi lindo…


​Siem Reap – onde dormir e o que fazer

Hotel Cambodja:

Bou Savy Guesthouse – 18€/noite (com PA)

Cambodja – Formas de deslocação

Tuk Tuk, é barato e vai a todo o lado. Nós até contratamos o serviço de um deles e andamos os dias todos com o mesmo fulano, até para os templos fomos com ele.

Cambodja – Onde comer:

Na rua, nós comíamos em stands entre os templos e no centro existem imensos sítios para comerem. Mesmo para os mais esquisitos.

Dicas e pontos de interesse no Cambodja:

  • nós fizemos a viagem de Bangkok até Siem Reap de autocarro. De Bangkok até à fronteira demorou 3h, na fronteira perdemos 2h e da fronteira até Siem Reap gastamos outras 3h.
  • ir da estação de camionagem até aos templos custa 4$ (negociados).
  • bilhete de 1 dia nos templos custa 20$ por pessoa, mas depois das 17h é  gratuito.
  • refeições custam 6$ para 2 pessoas.
  • hotel custou 8$/noite.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp

Descobre mais Diários de Viagem

No data was found

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *